terça-feira, 26 de abril de 2011

Convite

Bons dias!

O livro "Sustentar a Vida" é fruto da união de profissionais de diferentes áreas analisando a temática da sustentabilidade. Foi desenvolvido para o leitor comum, sendo de leitura fácil e dinâmica.

Assino o capítulo "Corpo Sustentável- um caminho através do movimento", que assim como o blog oferece um novo ponto de vista sobre o assunto.




Até lá!!

domingo, 10 de abril de 2011

Simplicidade


Ir ao encontro da simplicidade... ao que de fato necessito... às vezes não é nada simples.

Não se trata de um apologismo messiânico ao desapego, mas do questionamento sobre o que é realmente necessário para que se possa viver de forma saudável, integral e respeitosa consigo mesmo.

Algumas dimensões da vida humana são colocadas como fundamentais afim de nos garantir algum equilíbrio e harmonia nesses tempos modernos...

Lazer                                              Amor
                  Contemplação                               Paz de espírito
      Movimento                     Auto-realização                    

Me detenho ao que se relaciona ao movimento, as práticas físicas, ao corpo propriamente dito, embora tudo faça parte do todo e estejam interligados.

Deixar-se movimentar no cotidiano é uma necessidade básica. É primário que se espreguice ao levantar, caminhe distâncias, corra quando está com pressa, "estique" partes quando seu corpo pede, suba escadas, sinta sua respiração ofegante aos esforços, transpire.

Tudo muito básico. Mas, será que temos tempo e disposição pra seguir a ordem natural? Quantas vezes somente me dou conta que o corpo existe quando  sofro nessas situações? E o pior, em alguns casos a constatação de que não consigo realizar nem esse "basiquinho", ficando bem desconfortável quando fujo ao mínimo do que costumo fazer. 

Então, seguindo a linha da simplicidade, vale expor o corpo ao que é necessário para se viver, tocando as exigências do dia a dia de trabalho, as tarefas de casa, os deslocamentos a pé.

E depois avançando, podemos pensar em atividades ou práticas físicas em que se identifique corporal e subjetivamente. Sim, fazer algo que goste, que lhe ofereça satisfação e bem-estar constatadas na sua carne, em você. Não necessariamente a moda da vez, mas o que te faz bem hoje e amanhã.

É razoável querer ter um corpo bonito, mas muito melhor se associarmos agilidade, resistência, inteligência, capacitando seu físico a fim de que possa executar suas tarefas cotidianas... e principalmente, sem predispô-lo às lesões.   

Portanto, ao realizar uma atividade física no contexto esportivo/lazer, mesmo se cansando, ultrapassando o convencional ... perceba o quanto daquilo seu corpo consegue assimilar, o quanto consegue dar conta, se dói, se realiza excessivamente caretas de sobre-esforço. Atente ao que se demonstra como natural e ao que já passou da conta.

Informe-se, mas sobretudo experimente, perceba e questione.

Bons movimentos com um Corpo Sustentável!



segunda-feira, 4 de abril de 2011

Sustentabilidade


O tema da vez é a sustentabilidade. Está em toda parte: conferências, noticiários,  empresas, escolas ... blogs!!!

Cada um tratando o assunto de acordo sua necessidade e interesse.

É incontestável que apesar da nobreza do assunto, ocorreu a banalização do termo. Tornou-se vantajoso ter a imagem ou produto associado a palavra mágica.

Assim, tem acontecido. 

Mas também, há quem tenha o comprometimento real com a causa. 

Existem muitos humanos que revendo seus conceitos, começaram a se questionar e preocupar com a responsabilidade que compete a si dentro da dinâmica da vida. Isto envolve, desde  aspectos relacionados ao excesso de consumo dos recursos, as cadeias de produção, ampliando para infinitas relações consigo, com o outro e o Planeta.

O blog Corpo Sustentável nasce do questionamento de alguém que trabalha com o corpo humano, mas sendo maravilhada por esse Planeta e estudando algo que se refere ao meio ambiente, viu na educação ambiental e na educação corporal (ou somática) grandes paralelos e interrelações. Integração.

Mas, falemos um pouco de quando surge o conceito de sustentabilidade. 

Ele não é tão novo(!), embora venha se delineando desde 1972 na Conferência das Nações Unidas sobre o Meio Ambiente Humano, em Estocolmo. Somente passa a receber a denominação sustentabilidade no Relatório Brundtland em 1987, e oficialmente se consagra na Rio-92, como desenvolvimento sustentável.
  
Quanto a definição mais aceita, refere-se ao desenvolvimento capaz de suprir as necessidades da geração atual, sem comprometer a capacidade de atender as necessidades das futuras gerações. Não esgota os recursos para o futuro.

Informações importantes, as quais valem lembrar.

Desse modo, podemos refletir sobre as relações de desenvolvimento sustentável que construímos ou construíremos com o nosso corpo,  aspectos que se relacionam ao quanto dará conta de suprir minhas necessidades no dia a dia... quanto o sobrecarrego ou não, de forma que não se esgote antes do esperado (como exemplo : artroses precoces por over use)... quanto é de fato inteligente, econômico e eficiente... belo na ação.

Uma outra forma de se pensar em sustentabilidade...